Fórum oficial para os curtidores da Page Skyrim da Depressão.


    A Queda Do Assassino

    Compartilhe

    hayabusabrtk

    Mensagens : 1
    Data de inscrição : 29/10/2013

    A Queda Do Assassino

    Mensagem por hayabusabrtk em Ter Out 29, 2013 1:17 pm

    Bom gente, aqui sou eu Wesley Bruce e venho aqui postar minha lore, e como é fórum (sempre preferi fórum por que a organização do facebook é um lixo) vou sempre postar subtópicos aqui, e esse é dedicado a Lore do meu char, Ezio Salvatore.

    Capítulo 01 - Abençoado com uma maldição

    Era uma tarde de sexta-feira, minha rotina diária estava prestes a terminar e eu poderia focar em diversão. Treinar arco e flecha é divertido, porém uma hora cansa. Só quero saber quando a Liah vai voltar de Solstheim com a família dela, tô morrendo de saudades ...
    Eu estava sentado, brincando com os brinquedos de madeira que eu mesmo tinha feito, sempre tive talento pra artes, e me pergunto por que não virei artesão. Quando de repente vejo um par de mãos cinzas cubrindo meus olhos e falando calmamente comigo:
    - Pequenino, adivinha quem voltou?
    -Liah!
    -Ezio !! Vem cá e me dá um abraço, meu branquelo!
    -Vou sim, minha pretinha! Hahahahahahahahaha. Por que demoraram tanto? Você deveria ter voltado na quarta.
    -O navio acabou tendo um problema, e tivemos que esperar lá por outro. Mas ainda acho que não devia ter voltado...
    -Por que não, maninha?
    -Mal voltei pra minha casa já fui mal recebida...esses nórdicos de merda adoram soltar piadinhas com elfos negros como eu, já estão passando dos limites.
    -Uma hora isso vai acabar, Liah. Acredite em mim.
    -Ezio, só vai acabar quando a gente sair daki. Onde está Claudia, sua mãe?
    -Está lá em casa. Vamos lá?
    -Claro, espera só eu colocar minhas roupas de volta na minha.
    -Eu te acompanho até lá maninha.
    -Tudo bem, branquelo.
    Daí acompanhei a Liah até a casa dela, localizada no nordeste de Windhelm (cidade onde moro), num bairro conhecido por "Bairro Cinza" onde moram apenas pessoas da raça dela (Elfos Negros). Como Windhelm é o único porto de ligação entre Solstheim e Skyrim, é bem comum ver elfos negros por aqui. Eles são bem fáceis de diferenciar, só olhar para eles e ver a pele cinzenta, os olhos vermelhos, o cabelo mais liso, orelhas pontudas. Acho que Liah é a elfa mais linda que eu conheço (se bem que só conheci 4 elfos negros em toda minha vida).
    Chegando lá ela abriu a porta de casa, e nos deparamos com uma cena no mínimo chocante. A mãe dela chorando com um papel em mãos. Eu tentei chegar perto dela, mas Liah me barrou e disse que queria falar a sós com a mãe dela. As duas entraram em um quarto, e como eu me preoculpo com as duas, fiquei ouvindo a conversa por trás da porta.
    Não deu pra ouvir tudo, mas ouvi algo assim quando me encostei na fechadura da porta:
    -Liah, querida. Eu sei que é algo ruim, mas você precisa vingar a morte do Gonerth. Você é a única aqui nessa cidade inútil que pode fazer justiça. Mas não deixe seu amiguinho nórdico saber de nada, vá só.
    -Mas mãe, eu ainda não estou pronta...
    -Liah Salvatore, vá. Agora.
    Daí eu me deparo com uma cena totalmente bizarra pra mim: Liah, a pessoa que me inspirava a ser alguém melhor, que me inspirava em termos de caráter e personalidade (e honra), vestindo o que parecia ser uma armadura toda preta, colada no lindo corpo dela como se fosse outra pele,  com uns detalhes vermelhos, porém nada brilhante. Ao invés de elmo, havia um capuz cobrindo superficialmente o rosto dela. Quando a vi abrindo a porta me surpreendi e acabei caindo, ela se espantou, e disse:
    -Ezio amor, você deve ter ouvido a conversa, não é?
    -Mas...eu...me perdoa, Liah.
    -Você não está errado, nenhum de nós está. Os únicos errados na história são aqueles que sentam em tronos e comandam exércitos. Nós somos apenas vítimas dessa gente...
    -O que você vai fazer ?
    -Eu te conheço desde que você era um bebê, acho que posso te contar.
    Ela parecia uma mistura de frustrada com amedrontada. Liah pegou na minha mão e me subiu a escada comigo, em direção ao quarto dela lá encima. Não sabia o que estava acontecendo, mas a verdade iria ser revelada agora. Assim que ela abriu a porta do quarto ela começou a falar:
    -Ezio.
    -O que?
    -Senta na cama.
    -Tá certo...
    Fiz como ela disse. Nesse mesmo momento ela abriu o guarda-roupa dela, puxou uns vestidos pro lado, e abriu o que parecia um compartimento secreto no guarda-roupa. Uma madeira bem grande caiu no chão e deixou a mostra um pano preto. Nesse pano tinha uma mão desenhada, nada muito detalhado, porém estava visível. A mão era vermelha de um tom tão escuro quanto eu nunca houvera visto. Liah puxou o pano preto e tirou de lá uma caixa de madeira com alguns detalhes em ouro. Ela sentou na cama do meu lado, colocou a caixa nas pernas e tirou uma chave de dentro da roupa dela.
    -Olha, dentro dessa caixa há algo que poderá mudar não só sua vida, mas também de outras pessoas. Ezio, escute: Eu quero que você leve isso pra sua casa e guarde como se o coração da sua mãe estivesse ai dentro. Promete que fará isso por mim?
    -Prometo.- disse, amedrontado sem saber o que estava acontecendo.
    -Você um dia será um homem, grande e forte, mas até então continue essa criança incrível que você é. Vá pra casa, leve isso, e esqueça qualquer coisa que viu e que aconteceu aqui. Isso é tão dificil pra mim quanto pra você. Agora vá amor, por favor.
    -Liah, por favor me conta o que está acontecendo. Eu já vi isso tudo, e o que eu pensava de você agora mudou totalmente. Por favor me fala o que significa tudo isso.
    -Ezio, não...
    -Por favor...
    -...Tá bem, eu conto.
    Ela se calou por uns segundos, abaixou o capuz, e voltou logo a falar.
    -Eu sou membro de uma organização de assassinos de nome em toda Tamriel, a Irmandade Sombria. Eu mato por dinheiro. Um desses meus assassinatos envolvia a morte do Jarl de Windhelm. Não sei se sabe, mas ele está morto agora...
    -Você...MATA PESSOAS???
    -Sim, eu mato. E não me orgulho nem um pouco disso. Porém a cada assassinato bem sucedido eu ganho ouro suficiente pra manter minha casa, e não ter minha mãe como escrava desses nórdicos inúteis. Faço isso apenas para SOBREVIVER em um mundo onde quem tem ouro é mais importante.
    -Não consigo entender isso...
    -Eu ja passei um ano treinando você. Agora você sabe atirar. Pegue meu arco de madeira perto do sofá, a aljava e leve. Fique pra você, afinal, uma hora você vai precisar. Agora vai.
    Me levantei rápido da cama, e fiz exatamente o que ela pediu. Coloquei a aljava nas costas e levei o arco em mãos. Meio usado, porém leve e eficaz. Peguei a alça da caixa de Liah e pendurei nas costas como uma bolsa. Assim que abri a porta da casa me deparei com algo muito estranho. Uma gritaria horrível dominava Windhelm. Quando fui ver me deparei com vários homens lutando contra soldados de Windhelm, esses homens usavam armaduras vermelhas grandes e eram liderados por um com o capacete totalmente fechado. Corri em direção a minha casa com medo de que algo de ruim tivesse acontecido com meus pais.
    "Ataque imperial! Ataque imperial!", era o que se ouvia em Windhelm enquanto eu corria com o arco em uma mão, e minhas emoções na outra, em direção a minha casa...

    avatar
    Drunmon

    Mensagens : 19
    Data de inscrição : 12/11/2013
    Idade : 20
    Localização : Whiterun - Skyrim, Tamriel

    Re: A Queda Do Assassino

    Mensagem por Drunmon em Ter Nov 12, 2013 2:00 pm

    nessa fala do Ezio "Você deveria ter voltado na quarta." você cometeu um erro, não tem "quarta" em mundus. O certo pra quarta é Middas.

    Aqui uma postagem que pode te ajudar nesse quesito de calendário
    gaming.stackexchange .com/questions /43629 /explain-the-calendar-in-skyrim

      Data/hora atual: Seg Set 24, 2018 6:46 am